1- Imponha limites para o lazer

Sair das dívidas requer uma alta dose de foco e disciplina. Embora pareça impossível resistir ao convite do happy hour após o trabalho ou assistir ao show da sua banda favorita, esse prazer momentâneo pode representar uma dor de cabeça no futuro. Por isso, limite os gastos com a diversão.

Isso não quer dizer que você deve abrir mão da sua vida social. É possível alcançar um equilíbrio estipulando um limite de gasto para cada evento. Além disso, existem muitos programas gratuitos ou com custo reduzido para fazer 

2 Organize uma reserva de emergência

Imprevistos podem acontecer a qualquer hora. Nessas situações, a reserva de emergência pode ser a grande saída para evitar a entrada em dívidas ruins, como empréstimos do cheque especial e rotativo do cartão de crédito.

O ideal é ter um fundo de emergência com o valor de pelo menos três salários mensais. Lembre-se sempre: quanto maior a reserva, menor a possibilidade de entrar no mau endividamento.

3 – Consuma de maneira mais consciente 

Não se trata de interromper a compra de itens que você gosta. A ideia é verificar de maneira criteriosa se há real necessidade de comprar certas coisas. Quando cria-se uma consciência financeira baseada em um equilíbrio entre desejo e necessidade, economizar dinheiro se torna uma tarefa muito mais fácil e você descobre como se livrar das dívidas sem passar dificuldade.

4 – Pratique a autoavaliação

Conseguiu por em prática todas as estratégias listadas e descobriu como sair das dívidas? O trabalho não acaba por aqui. É necessário entender quais comportamentos fizeram você chegar a essa situação para evitar um novo endividamento.

Tente pontuar os comportamentos que fizeram o orçamento sair de controle e evite repeti-los. A mudança de hábitos é essencial para a sua saúde financeira.

5- Comece a poupar 

Agora que você conseguiu quitar suas dívidas e manter uma reserva de emergência, chegou a hora de poupar para conseguir tirar os seus planos do papel.

Para isso, reserve uma parte do seu salário para uma poupança e mantenha o compromisso de guardar esse valor todos os meses. Para ajudar, estipule uma porcentagem do seu salário que será reservada para a poupança e a considere como se fosse o pagamento de uma conta mensal. 

6 – Conseguiu economizar? Invista!

Descobriu a maneira correta de como sair das dívidas e já possui uma reserva considerável? É hora de começar a investir. 

Embora a poupança seja o formato mais popular para guardar dinheiro, a sua renda pode crescer muito mais em outras aplicações. Hoje, a rentabilidade média da poupança é de 0,5% ao mês, ou 6% ao ano – bastante inferior a outras alternativas de renda fixa. 

Algumas opções para investimento na modalidade de renda fixa são:

  • Tesouro Selic: pacote de tesouro direto que remunera o investidor com base na taxa básica de juros (Selic);
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB): título de crédito que os consumidores fazem aos bancos em troca de remuneração;
  • Fundo de Renda Fixa: comunidade de investidores administrada por um gestor que fica responsável pela gestão de compra e venda de títulos públicos e privados que podem gerar lucro aos investidores.